Mitos e Verdades sobre prótese de silicone

segunda-feira, outubro 03, 2011

123RF Stock Photos
O número de cirurgias de aumento da mama tem crescido no Brasil. De acordo com pesquisa do Ibope, no ano passado este foi o procedimento cirúrgico mais solicitado pelas mulheres, com mais de 156 mil intervenções.

O Dr. Alexandre Mendonça Munhoz (CRM-SP 81.555), especialista em cirurgia plástica de mama e Membro Especialista e Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, esclarece algumas dúvidas sobre o procedimento:

1) A mamoplastia de aumento é indicada para todas as mulheres com seios pequenos?

Sim, de maneira geral. Todavia, os aspectos relacionados ao volume mamário inicial, antes do procedimento, e ao desejado pela mulher devem ser avaliados de maneira criteriosa. Em algumas situações, nas quais existe presença de tecido mamário associado com certo grau de ptose (queda da mama), pode-se apenas reposicionar a mama, sem a necessidade de implante de silicone. Para isto, é fundamental a avaliação física da paciente e a ponderação quanto ao volume final desejado. Caso não haja queda da mama e essa relação seja desfavorável, os implantes de silicone estão bem indicados.

2) Como descobre-se o quanto é saudável e esteticamente aconselhável aumentar os seios, para evitar exageros ?

Uma avaliação criteriosa e a discussão de todas as possibilidades são fundamentais para a escolha adequada e o bom resultado. Ademais, a ponderação de alguns fatores subjetivos e objetivos são habitualmente empregados na indicação do implante mamário de silicone. Fatores subjetivos estão mais relacionados com a individualidade de cada mulher e se baseiam em critérios próprios de imagem corporal. Habitualmente, as mulheres se sentem insatisfeitas com a projeção, ou a não adequação da mama a determinadas roupas e decotes. Já os fatores objetivos são empregados pelo próprio cirurgião e estão firmadas em medidas de proporcionalidade da mama em relação à estatura, largura dos ombros e dimensão do tórax, além da simetria com a mama oposta. Desta forma, a mulher pode apresentar uma queixa individual de volume pequeno e no exame físico constatarmos que existe uma insuficiência de volume em relação às proporções mencionadas e desta forma a cirurgia estaria bem indicada.

Dr. Alexandre Mendonça Munhoz
3) E quanto à escolha do formato e tamanho da prótese para evitar os excessos ?

Em relação à escolha do implante, alguns fatores são fundamentais para se conseguir um resultado natural e a satisfação com a cirurgia. Deve-se optar por implantes mais modernos e que apresentem características, como coesividade e revestimento texturizado de última geração. Normalmente, a paciente relata seu desejo e sua idéia de mama ideal ou de imagem corporal. Em seguida, calculamos de maneira objetiva a largura (base) e a altura da mama, com o intuito de determinar as possibilidades de volume de implante para aquela anatomia específica. Vale salientar que cada mulher tem uma anatomia individual e com valores próprios de base e altura. Um determinado volume que seria muito grande para uma determinada mulher talvez seja insuficiente para outra uma vez que as dimensões mamárias e do tórax são distintas. Além disso, utilizamos a prova de moldes, frente aos tamanhos já previamente selecionados e, neste momento, decidimos em conjunto entre 2 a 3 tamanhos diferentes.

4) Como adequar os modelos e projeções às características corporais de cada paciente ?

Quanto à forma, podem existir algumas indicações específicas. Alguns implantes com forma e projeções diferentes são mais definidos de acordo com a anatomia de cada paciente. Geralmente, os implantes de perfil baixo (pouca projeção) são mais indicados para mulheres que não desejam o colo cheio e querem apenas um preenchimento suave com resultados mais discretos. Estes modelos também podem ser indicados para casos de assimetrias mamárias, quando se planeja aumentar um pouco a mama menor com objetivo de torná-la mais parecida com a mama maior. Já os implantes de perfil alto ou mais projetados são bem indicados para pacientes que desejam o colo cheio e mais perceptível. São também indicados para mulheres que têm maior flacidez de pele, pois preenchem mais, além de poderem ser associados com cirurgias de suspensão de mamas (correção de queda mamária).

Os modelos anatômicos (em gota) de última geração apresentam como característica a maior projeção na região centro-inferior da mama e menor projeção na parte superior (mais naturais), por isso são habitualmente indicadas para mulheres que desejam maiores aumentos, porém querem um formato de mama mais natural (não redondo). Tem ainda excelente indicação em mulheres muito magras ou mesmo atletas, onde os resultados respeitam a anatomia da mama. Atualmente existe na quinta geração de implantes, uma amplitude muito variada de sub-modelos que diferem quanto a largura, altura e projeção. Desta forma permite-se uma maior opção de escolha para diferentes pacientes.

5) Mesmo as próteses mais modernas devem ser substituídas com 10 anos de uso ?

Nenhum implante mamário de silicone é vitalício e como qualquer material sintético sofre um desgaste natural com o passar dos anos. Alguns estudos que avaliaram os implantes de última geração demonstram bons resultados em períodos superiores a 10 anos. Isto é decorrente da baixa incidência de contratura capsular e rompimento do implante uma vez que promovem uma menor interação com o organismo e apresentam um maior número de camadas, fato este que promove maior resistência. Modelos mais recentes mostram resultados seguros com 15 a 20 anos na grande maioria das pacientes e isto é proveniente da evolução do revestimento dos implantes e da qualidade do silicone gel. Desta forma, há uma tendência mundial no maior emprego de implantes com superfícies texturizadas e de última geração. Confeccionadas também de silicone, essas superfícies apresentam inúmeros poros microscópicos e com distâncias e profundidades pré-estabelecidas e que influenciam no comportamento da fibrose pós-operatória. Com o passar dos anos, é importante a paciente realizar acompanhamento com seu cirurgião plástico e em conjunto e associado com os exames de imagem determinar a melhor época da substituição.

123RF Stock Photos
6) A prótese pode mesmo estourar ou explodir com um impacto brusco ?

Há relatos esporádicos de ruptura do implante pós-trauma externo, como quedas de grande altura ou impacto de material em alta velocidade. Em sua maioria são implantes muito antigos, já com desgaste natural e que possuíam um número menor de camadas de revestimento. Todavia, em condições normais e sendo o implante de última geração e com as características já mencionadas, como texturização e coesividade, a probabilidade deste evento ocorrer é praticamente nula. Vale lembrar que ainda existem implantes salinos (preenchidos com soro), muito utilizados nos EUA, e que apresentam o risco de ruptura e saída do soro fisiológico.

7) A colocação de próteses interfere no exame do toque e um possível diagnóstico precoce do câncer de mama? Quem tem prótese é mais propensa a desenvolver o tumor ?

Em relação à cirurgia de aumento de mama, vários trabalhos científicos que avaliaram mulheres com e sem implante de silicone mostraram que a incidência de câncer de mama é semelhante nos dois grupos avaliados e não há qualquer relação entre o implante e o desenvolvimento do câncer.

Todavia, um trabalho muito interessante, publicado em 2006 por Handel e Silverstein da Universidade da Califórnia/Los Angeles (revista Plastic and Reconstructive Surgery) avaliou mais de 4000 mulheres que tiveram diagnóstico de câncer de mama e comparou quanto a incidência, momento do diagnóstico e tamanho do tumor no grupo com e sem cirurgia prévia de aumento de mama. Observou-se que a incidência de câncer e o momento do diagnóstico foram semelhantes nos 2 grupos avaliados. Todavia, nas pacientes com prótese de silicone observou-se que os tumores foram detectados em um tamanho menor que nas pacientes sem prótese. Tal fato, os autores atribuíram que a presença da prótese de silicone serviria como um anteparo no momento do auto-exame e aumentaria a sensibilidade na palpação de tumores menores e facilitando desta forma o auto-exame.

8) É mais difícil realizar mamografia em quem usa prótese nos seios ?

Existe a necessidade de aparelhos e posicionamento especial de modo a deslocar a prótese da frente da mama e desta forma permitir uma adequada visualização do parênquima mamário. Atualmente, em bons centros de radiologia e com técnicos preparados e radiologistas experientes, a dificuldade de posicionamento e visualização ocorre em uma porcentagem mínima de mulheres. Antes do advento da ressonância magnética e com a menor experiência dos radiologistas na avaliação de pacientes com implantes de silicone, havia uma menor sensibilidade da mamografia na avaliação de toda a extensão da glândula mamária. Atualmente, com a maior experiência nas cirurgias plásticas de mama e a utilização de outros exames em associação com a mamografia, como o ultrassom e a ressonância magnética, este aspecto negativo é desprezível. Neste grupo em específico, pode-se complementar o exame de imagem com análises complementares, aumentando desta forma a sensibilidade na visualização de toda a mama.

9) Durante o tratamento do câncer de mama a prótese de silicone já implantada pode atrapalhar ?

De maneira geral não. Atualmente, a prótese de silicone é uma das principais técnicas de reconstrução mamária empregada após a retirada do tumor. Em algumas situações, existe a necessidade de um maior planejamento técnico e pode existir a necessidade de troca desta prótese e simetrização com a mama contra-lateral. Todavia, o tratamento é semelhante ao realizado em pacientes sem implantes.

0 comentários:

Postar um comentário

TAGS

Ação Social Adriane Galisteu Agua termal Alimentação Anti-idade Artur Grynbaum Banho Base Batom Beauty Fair 2011 Beauty Fair 2012 Beleza masculina Biquini Boca Brilho Labial Brincos Burgundy Cabelos Cabelos - finalizadores Cabelos - hidratação e tratamento Cabelos cacheados Cabelos masculinos Calçados Camisa branca Câncer de Mama Carnaval Carteiras Celebridades Celso Kamura Celulite Chocolate Cigarro Cirurgia Plástica Claudia Matarazzo Coloração e Tonalizantes Coques Cores - como combinar Corretivo Cosméticos premiados Creme para os olhos Crochê Cuidados com a pele Cuidados com as roupas Cuidados com o corpo Cuidados com o rosto Curiosidades Deborah Secco Demaquilante Depilação Dermocosméticos Desfile da Daslu Desfiles Desfiles 2012 Desfiles Outono/ Inverno 2013 Dia Internacional da Mulher Dicas de beleza Dicas de produtos Dicas para disfarçar a barriga Disco das Cores Disco de Newton Dra Ana Hara Drenagem Linfática Duda Molinos Entrevista com a Avène Esmaltes Estilo Estresse Etiqueta Fashion Day In 2012 Fashion Rio Inverno 2012 Fashion Rio Inverno 2013 Fernanda Paes Leme Fim de ano Fiorella Mattheis Fonoaudiologia Estética Francal Gisele Bündchen Glam Sneaker Gloria Kalil Grazi Massafera Grupo Boticário Guia de maquiagem Guido Palau Hair Brasil 2011 Happi Magazine Hara Spa Hidratação corporal Ildi Silva Imagem Pessoal Isabelli Fontana Ivete Sangalo Izabel Goulart Jeans Jennifer Lawrence Joias Juliana Martins Juliana Paes Julio Rocha Júri Kelly Rutherford Lábios Lançamentos Le Creuset Lenço Lingerie Luana Piovani Luíza Brunet Mamoplastia Mãos Maquiagem Maquiagem Mineral Maquiagem para entrevista de emprego Maquiagem passo a passo Marcelo Serrado Marco Antonio de Biaggi Marcos Proença Maria Fernanda Cândido Mariana Ximenes MariMoon Marina Rui Barbosa Marketing Matthew Settle Mercado de Cosméticos Moda Moda Praia Nails Fashion Week Nails Fashion Week 2012 Nathalia Dill Nathalia Rodrigues News Novelas Nude Óculos Olheiras Olhos pretos Opaque Oscar 2013 Outono/ Inverno 2014 Paloma Bernardi Palpite Perfumado Paolla Oliveira Paris Fashion Week/ Verão 2013 Patrícia Poeta Patrícia Veiga Paulo Persil Peeling de Diamante Perfumes Perfumes ambiente Perfumes femininos Perfumes masculinos Pérolas Pés Pó Facial Prada Prêmio Atualidade Cosmética 2012 Prêmio Atualidade Cosmética 2013 Prêmio Atualidade Cosmética 2014 Prêmio Atualidade Cosmética 2015 Prêmio Mulher em Destaque Opaque Primavera 2013 Primavera/ Verão 2015 Promoção Proteção solar Protetor solar colorido Publicações/ Entrevistas Rabo-de-cavalo Réveillon Rinoplastia Rock Rodrigo Andrade Rossano Ferretti Rugas Sabrina Sato Scar Project Secadores e Chapas Semana de Moda de Aruba Semana de Moda de Milão Semana de Moda de Nova York Shampoo e Condicionador Significado das cores Sobrancelhas Spas SPFW Inverno 2012 SPFW Inverno 2013 SPFW Verão 2015 Taís Araújo Tendências Tendências de esmaltes Primavera-Verão 2012/ 2013 Tendências de esmaltes Primavera-Verão 2012/ 2013. Tendências de esmaltes Verão 2015 Tendências de maquiagem Primavera-Verão 2012/ 2013 Tendências Inverno 2012 Tendências Outono/ Inverno 2013 Tendências Verão 2012/ 2013 Ticiane Pinheiro Tratamento corporal Tratamento facial Unhas Vanessa Giácomo Verão 2016 Verde Esmeralda Vestidos festa Visagismo Yasmin Brunet