A rinoplastia secundária corrige problemas causados pela cirurgia plástica do nariz

quinta-feira, junho 09, 2011

A busca do nariz desejado pode, muitas vezes, necessitar da realização de uma segunda cirurgia, que é definida como rinoplastia secundária e tem como objetivo corrigir defeitos estéticos e/ou funcionais que resultaram de uma intervenção prévia. A decisão por uma nova cirurgia depende do grau de insatisfação do paciente com o resultado e, principalmente, se os tecidos locais permitem um conserto satisfatório. Embora seja possível corrigir a maioria dos problemas em uma nova cirurgia, alguns pacientes apresentam condições, especialmente em relação à pele e a mucosa interna do nariz, que tornam a situação inoperável. Por isso, é preciso procurar um especialista neste tipo de procedimento, para que a situação não fique ainda mais complicada.

Dr. Alan Landecker
De acordo com o cirurgião plástico Dr. Alan Landecker (CRM 87043), Membro Titular e Especialista em Cirurgia Plástica pela SBCP - Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, membro da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), ao abordar a rinoplastia secundária, devemos lembrar que nenhum ser humano possui um nariz perfeito e que a cirurgia subseqüente é sempre mais difícil do que as anteriores. “O nariz pode ficar com uma aparência pior se a técnica correta não for utilizada e/ou o corpo responder de uma forma imprevisível. Portanto, é fundamental que o paciente realize a cirurgia somente com um especialista em rinoplastia secundária, de preferência que domine a técnica estruturada”, esclarece Dr. Alan.

Na rinoplastia estruturada, a filosofia e sistematização operatória são diferentes. O objetivo é o de visualizar o esqueleto do nariz completamente, utilizando a abordagem aberta. O cirurgião esculpe as cartilagens e ossos de forma conservadora, precisa e simétrica, melhora a parte respiratória, tratando desvios de septo ou hipertrofia de cornetos simultaneamente à parte estética, e fortalece o esqueleto nasal remanescente. Isso é feito usando enxertos de cartilagem (retirada do septo, costela ou orelhas) na forma de vigas de sustentação invisíveis. Além disso, pontos de fixação são utilizados para reconstruir os ligamentos interrompidos durante a cirurgia. O resultado é uma estrutura nasal esculpida e fortalecida, que tem menos chance de ser distorcida pelo tecido de cicatrização e pelas forças respiratórias. 

O planejamento cirúrgico

Na rinoplastia secundária, o objetivo deve ser a produção de um nariz “individualizado”, que combine naturalmente com a face e a etnia do paciente. Pensando nisso, antes da cirurgia, o Dr. Alan Landecker realiza estudos matemáticos detalhados das proporções do nariz em relação à face de cada paciente e cria o planejamento cirúrgico baseado nestes resultados e no senso estético. “Este novo sistema de análise e planejamento foi desenvolvido utilizando-se modelos fotográficos como referência e evita a produção do “mesmo nariz para todos”, uma queixa antiga em pacientes submetidos a esta cirurgia pela técnica tradicional”, alerta o especialista.

Atualmente, a simulação computadorizada é usada para mostrar ao paciente o que deve ser corrigido e como isso pode ser feito. Por questões de ética, o paciente deve ser informado de que esta ferramenta é apenas educativa e que não constitui uma promessa em relação ao resultado. “Os desenhos aprovados pelo paciente são levados à sala de cirurgia e servem apenas como referência para o cirurgião realizar a rinoplastia estruturada. Este sistema estabelece uma boa sintonia entre o cirurgião e o paciente, fator fundamental para que as expectativas sejam atingidas, oferece resultados cada vez mais naturais e minimiza a chance de insatisfação estética após a rinoplastia secundária”, afirma o médico.

123RF Stock Photos
Alguns motivos que podem contribuir para o insucesso da rinoplastia, indicando a realização de uma rinoplastia secundária:

- Pacientes com características desfavoráveis (ex. pele muito grossa, pele fibrótica devido a cirurgias prévias/preenchimentos, pele aderida ao esqueleto nasal, forro nasal insuficiente, grandes perfurações septais, etc);

- Inabilidade de entrar em sintonia com o médico em relação às queixas, expectativas e quanto ao resultado efetivamente possível em cada caso;

- Expectativas não realistas por parte do paciente;

- Inabilidade por parte do médico de diagnosticar os problemas funcionais e/ou estéticos do nariz do paciente;

- Má execução técnica da cirurgia, que pode envolver, inclusive, a escultura imprecisa ou assimétrica das cartilagens da ponta do nariz;

- Colocação errada do curativo;

- Trauma sobre o nariz após a cirurgia;

- O paciente não seguir as recomendações de cuidados do pós-operatório;

- Resposta imprevisível do paciente, especialmente em relação à produção de tecido de cicatrização (fibrose) e ao processo de cicatrização;

- Ação das forças respiratórias sobre o esqueleto do nariz.

- Formação de uma ou mais dobras de cartilagem, causada(s) pela contração do tecido de cicatrização que sempre se forma após a cirurgia.

- Desalinhamento das cartilagens da ponta, fazendo com que uma parte da cartilagem se insinue contra a pele e seja visível e/ou palpável.

- Afinamento da pele ao longo dos anos após a cirurgia, levando à visibilidade de irregularidades e/ou dos contornos das cartilagens. Este fenômeno se chama esqueletização.

Para o médico, a rinoplastia secundária é um desafio. E não somente devido à dificuldade técnica da cirurgia, mas também pela situação emocional do paciente que, quando procura a segunda cirurgia, demonstra emoções de frustração, depressão e, ocasionalmente, raiva em relação ao resultado da primeira intervenção. ”Os pacientes que procuram a rinoplastia, seja a primária ou a secundária, devem entender que não existe nariz perfeito. A perfeição em rinoplastia pode até ser atingida, mas é pouco provável, pois trata-se de uma cirurgia muito difícil e cujas forças pós-operatórias, como o tecido de cicatrização, não estão sob o controle do cirurgião. O grande inimigo desta cirurgia é a fibrose que se forma após a rinoplastia e que tende a puxar as cartilagens e/ou gerar deformidades de contorno. Por isso, é muito importante que o médico saiba utilizar as técnicas corretas de rinoplastia estruturada para tentar evitar o efeito deletério desta fibrose. Mas mesmo assim há risco do resultado ser desfavorável, se o corpo responder de uma forma inesperada”, finaliza do médico.

0 comentários:

Postar um comentário

TAGS

Ação Social Adriane Galisteu Agua termal Alimentação Anti-idade Artur Grynbaum Banho Base Batom Beauty Fair 2011 Beauty Fair 2012 Beleza masculina Biquini Boca Brilho Labial Brincos Burgundy Cabelos Cabelos - finalizadores Cabelos - hidratação e tratamento Cabelos cacheados Cabelos masculinos Calçados Camisa branca Câncer de Mama Carnaval Carteiras Celebridades Celso Kamura Celulite Chocolate Cigarro Cirurgia Plástica Claudia Matarazzo Coloração e Tonalizantes Coques Cores - como combinar Corretivo Cosméticos premiados Creme para os olhos Crochê Cuidados com a pele Cuidados com as roupas Cuidados com o corpo Cuidados com o rosto Curiosidades Deborah Secco Demaquilante Depilação Dermocosméticos Desfile da Daslu Desfiles Desfiles 2012 Desfiles Outono/ Inverno 2013 Dia Internacional da Mulher Dicas de beleza Dicas de produtos Dicas para disfarçar a barriga Disco das Cores Disco de Newton Dra Ana Hara Drenagem Linfática Duda Molinos Entrevista com a Avène Esmaltes Estilo Estresse Etiqueta Fashion Day In 2012 Fashion Rio Inverno 2012 Fashion Rio Inverno 2013 Fernanda Paes Leme Fim de ano Fiorella Mattheis Fonoaudiologia Estética Francal Gisele Bündchen Glam Sneaker Gloria Kalil Grazi Massafera Grupo Boticário Guia de maquiagem Guido Palau Hair Brasil 2011 Happi Magazine Hara Spa Hidratação corporal Ildi Silva Imagem Pessoal Isabelli Fontana Ivete Sangalo Izabel Goulart Jeans Jennifer Lawrence Joias Juliana Martins Juliana Paes Julio Rocha Júri Kelly Rutherford Lábios Lançamentos Le Creuset Lenço Lingerie Luana Piovani Luíza Brunet Mamoplastia Mãos Maquiagem Maquiagem Mineral Maquiagem para entrevista de emprego Maquiagem passo a passo Marcelo Serrado Marco Antonio de Biaggi Marcos Proença Maria Fernanda Cândido Mariana Ximenes MariMoon Marina Rui Barbosa Marketing Matthew Settle Mercado de Cosméticos Moda Moda Praia Nails Fashion Week Nails Fashion Week 2012 Nathalia Dill Nathalia Rodrigues News Novelas Nude Óculos Olheiras Olhos pretos Opaque Oscar 2013 Outono/ Inverno 2014 Paloma Bernardi Palpite Perfumado Paolla Oliveira Paris Fashion Week/ Verão 2013 Patrícia Poeta Patrícia Veiga Paulo Persil Peeling de Diamante Perfumes Perfumes ambiente Perfumes femininos Perfumes masculinos Pérolas Pés Pó Facial Prada Prêmio Atualidade Cosmética 2012 Prêmio Atualidade Cosmética 2013 Prêmio Atualidade Cosmética 2014 Prêmio Atualidade Cosmética 2015 Prêmio Mulher em Destaque Opaque Primavera 2013 Primavera/ Verão 2015 Promoção Proteção solar Protetor solar colorido Publicações/ Entrevistas Rabo-de-cavalo Réveillon Rinoplastia Rock Rodrigo Andrade Rossano Ferretti Rugas Sabrina Sato Scar Project Secadores e Chapas Semana de Moda de Aruba Semana de Moda de Milão Semana de Moda de Nova York Shampoo e Condicionador Significado das cores Sobrancelhas Spas SPFW Inverno 2012 SPFW Inverno 2013 SPFW Verão 2015 Taís Araújo Tendências Tendências de esmaltes Primavera-Verão 2012/ 2013 Tendências de esmaltes Primavera-Verão 2012/ 2013. Tendências de esmaltes Verão 2015 Tendências de maquiagem Primavera-Verão 2012/ 2013 Tendências Inverno 2012 Tendências Outono/ Inverno 2013 Tendências Verão 2012/ 2013 Ticiane Pinheiro Tratamento corporal Tratamento facial Unhas Vanessa Giácomo Verão 2016 Verde Esmeralda Vestidos festa Visagismo Yasmin Brunet